« Anterior 24/04/2012 - 13:22 Próxima »
Poesias de Amor e Vida - Mari Cabral

POESIAS DE AMOR E VIDA

(1)
SINGULAR MULHER

Pelos jardins da vida
Com olhos errantes
Como frágil rosa vivi
Muitos cheiros exalei
Misteriosos aromas senti!

Pelos caminhos da lida
Em cada amanhecer
Muitas pétalas me dei
E em cada enluecer
Banhos com elas tomei!

Muitos chás com elas fiz
Adoçados com ternura
Com cheiro de mulher madura
Sabor de vinho envelhecido
Levemente embriagador!

Hoje, rosa desabrochada
Ainda, pétalas a recolher
Ofereço momentos únicos
De uma singular Mulher
Que quer amar e ser amada!

Que o escolhido possa sentir
O sabor do sonhado prazer
Que o infinito ultrapassa
E como amor nunca passa
Dizendo da intensidade do Ser!

© Mari Cabral

(2)
ESTRADAS DA VIDA

Caminhos de água
Caminhos verdes
Caminhos de pedras
Caminhos de flores
Caminhos de espinhos!
Penso, paro e sento
À beira do caminho
Olhando para o alem
Rendida esperando
Mãos entrelaçadas
Para seguir caminhada
Da vida, as estradas...

Mari Cabral

(3)
...AO SABIÁ

Belo pássaro, o sabiá!

Dourado como o sol
Macio como o luar
Olhar observador
Distante, Sonhador...
Porte assim, simples
Mas imponente, sim
Fragilidade, só aparente
Sempre a gorjear...

Belo pássaro, o sabiá!

Declamado pelos poetas
Como o pássaro do amor
Tem do desejo o sabor
Da primavera o odor...
E eu sempre a chamar
Pedindo para ele encontrar
Nas trilhas dos seus voares
O meu esperado amar...

Belo pássaro o sabiá!

Mari Cabral

(4)
A PUREZA DO PECADO

Eu não sou pura
Nem tão pouco, pecadora
Sou apenas uma santa
Vestida pelo avesso...
De um momento de pecado
Sou fruto do amor, da pureza
Sou calma, sou meiga
Sou fera, sou toda amor...
Meu Ser pede a vida
Meus desejos são viscerais
Da sedução tenho as manhas
Conduzida pelo coração
Eu sou da pureza do pecado
A pura encarnação!

Mari Cabral

(5)
(6)
DANÇA DO AMOR

Que saudades da dança
Que dançávamos...
E dos ternos abraços
Quando a noite surgia
Nos doces enlaços
Dos nossos braços!
Sufocávamos de beijos
Os sussurros eram gritos
Qua a vizinhança calava!
De tanto prazer, íamos
Na dança divina do Amor...
Para tudo recomeçar
Com o odor do amanhecer!

Mari Cabral

(7)
CHAMADO

Parece que os meus dias
Estão sempre anoitecidos...
Todos os dias, e noites e dias
Em silêncio conto as estrelas
Amornando-me ao sol
Olhando a misteriosa lua
Esperando que o orvalho
Das madrugadas mal dormidas
Tome-me como única mulher
E cobrindo-me de afagos
Deixe-me deitar em seu colo
Aportar-me em seu firme solo
Falar de minhas queixas
Compartilhar os meus desejos
E fazer-me a sua particular gueixa...

Mari Cabral

(8)
DESEJO DE MENINA

De branco
Toda rubra
Cabisbaixa
Escondendo
Os olhos
De um olhar
Que parecia
Penetrar...
Ela não sabia
O que dizer!
Que fazer?...
Sentia este olhar
E um intenso fogo
A lhe queimar!

Mari Cabral

(9)
SEM VOCÊ

Eu, a mesma
Mesma casa
Mesma cama
Mesmo desejo
Mesmo amor
Mesmos sonhos...
Só tem de novo
Esta intensa dor
Sem teto, sem chão
Sem sonhos, sem você!

Mari Cabral

(10)
Esta Música

Esta música cai
Como uma chuva
E me faz chorar!
Sinto-me como
Uma menina nua
Tão só, tão pedinte
Tão carente!...
Por que não vens
Encantado cavaleiro?
Descansar das cavalgadas
Deitando-te no meu colo
Tirando-me desta solidão
Banhando-me em tua alma?
Plácida sob o infinito
Vestida de transparencias
Estarei sempre a esperar
O amor que não me destes
Deixando ecoar pelos ares
Os meus mais puros suspiros!

Mari Cabral

(11)
FOTO-GRAFIA

Te fotografei
Com um olhar
Com esta impressão
Te gravei no coração
E desde então
Ficaste tatuado
Em minha alma
Portanto, vens
Com asas de seda
Descansar macio
Sobre a leveza
De uma borboleta!

Mari Cabral

(12)
AMOR AO LUAR

Pela madrugada
A lua no céu a dançar
Por um fatal acaso
Da vida um descaso
Nos reencontramos!
Por campos enluarados
Sem perguntas ou respostas
Corpos mornos a tremular
Mãos dadas, sem se largar
Nós, perdidos viajantes
Por caminhos errantes
Fomos a procura da lua
No meu corpo de luar...

MaricabraL

(13)
CONTROVERSO

No meu mundo
Contro-verso
Nos meus versos
Vou desfilando
A minha alegoria...
Vou dizendo
Por um lado
Da minha agonia
Por outro
Da minha elegia...

MaricabraL

(14)
METADE DE MIM

Metade, quer gritar
Metade, quer calar
Metade, é encontro
Metade, desencontro
Metade, é verso
Metade, re-verso...

MaricabraL

(15)
SEM MEDIDAS

Abraça-me
Beija-me...
Por que sempre
Tão comedido?!
Vem... Vem!
Toca-me
Sente-me!
Acaricia-me
Assim... Assim!
Toma-me de mim
E sob esta lua azul
Faz amor comigo
...Sem medidas!

Mari Cabral


(16)
DESEJO DO DESEJO

Faça do meu desejo
O teu íntimo desejo
Entra em meus olhos
Desvenda meus segredos
Sente da minha boca
O orvalho da madrugada
Guarda em tuas vísceras
Os arrepios de minha pele
Abriga em teu coração
A maciez de minha alma
Acolhe em teu corpo
O chamado de meus sentidos
E juntos descobriremos o amor!

Mari Ccabral

(17)
MARCADA

Toda colorida
Com o brilho
Dos cristais...
Buscando vida!
Esta é a alegoria
Que me restou
De uma passada alegria
Que da mesma só ficou
O desejo de poder
R E C O M E Ç A R...

MaricabraL

(18)
DES-AMOR

Eu amava você e o amor
Que você não me dava!
O prazer com você
Que eu tanto desejava
Você me negava!
(Para você eu parecia
Que não existia!)
Você brincava fingindo
Dizendo me amar!
E o tempo foi pas-san-do...
Até que vi você partindo
Em prantos, mesmo sem querer
O seu amor já me amava!
Com você aprendi a brincar...
Enquanto você pedia para ficar
Eu dizia não mais lhe amar!

Mari Cabral

(19)
Que Venha...

Este Amor desconhecido
No meu peito adormecido
Na minha alma, tão esperado!
Que venha este amor
Arrancar este grito que sufoca
Este gemido que me despoja!
Que venha trazer-me vida
Jamais, uma despedida!

Mari Cabral

(20)
BANHO DE LUAR

É este teu olhar
Que fica descuidado
Pelo meu corpo
A passear...
Deixa-me mergulhar
Neste teu olhar!
Vens, então, viajar
Pelos caminhos
Da minha pele
Molhada do orvalho
Da triste madrugada
E beijas a branca lua
Que está a te esperar!

Mari Cabral

(21)
AOS POUCOS

Porque, assim
De pouquinho
Em pouquinho
Eu chego lá
Tu chegas cá
E serei tua
E serás meu
Assim...
Aos poucos!

Mari Cabral

(22)
E C O S...

Colorido
Furta-Cor
Brilho
De cristal
Busca
A vida...
Esta é
A alegoria
De uma ação
de Começar
De novo
Com alegria...

MaricabraL

(23)
DES-AMOR





Comentários
Apenas o dono deste FlogVip pode visualizar os comentários desta foto!

Fotos com mais de 20 dias nao podem ser comentadas.
/perdida_nanet
Sobre * perdida_nanet
João Pessoa - PB

Presentear FlogVIP
Denunciar

Últimas fotos

18/01/2015


18/01/2015


13/10/2014


19/08/2014


13/08/2014

« Mais fotos


Visitas
Total: 249.306

Feed RSS